Região Norte de São Paulo ganha letreiro que promove turismo de São Paul

Região ganha letreiro que promove turismo de São Paulo

O pôr do sol brilha e reluz no chão. Em meio à luminosidade, sombras criam formas diversas. Ao lado, em cima ou embaixo, as pessoas abrem os braços. Tomadas de felicidade, posam para fotos. Essa é uma cena comum para quem já foi a lugares que possuem, como ponto turístico, os famosos letreiros com o nome ou menções às cidades.

Aparentemente simples, os letreiros carregam muito mais que o nome do lugar ou um slogan. Eles, muitas vezes, refletem o estilo de vida, a cultura da região, as cores e texturas que caracterizam cada local.

Talvez essa “moda” tenha começado com o icônico letreiro americano de Hollywood, em Los Angeles. Cravado no Monte Lee, o marco foi inaugurado em 1921. Na verdade, as gigantes letras de 14 metros de altura indicavam uma propaganda de um loteamento residencial chamado Hollywoodland. O tempo passou, as letras chegaram a quase sumir, trocaram por Hollyweed (menção à maconha, com “weed”)… Enfim, tornou-se um ícone da cultura pop.

É bem provável que, por conta da dificuldade de acesso ao marco de Hollywood, as cidades começaram a explorar o potencial turístico dos letreiros. OK, isso é apenas uma suposição. Afinal, basta ir para o interior e encontrar as letras gigantes ao longo da estrada dando às boas vindas aos visitantes. Os letreiros são pop.

Quem vai à mexicana Cancún, por exemplo, tem que – obrigatoriamente – tirar uma foto nos coloridos letreiros que traduzem a alma solar, diversa e alegre que a cidade possui. Mas não são apenas letras coloridas: são vários deles espalhados pela cidade. Um, no entanto, é especial: o mar azul cristalino ao fundo, da Playa Delfines, confere uma foto mágica!

Já nos vizinhos do norte, a cidade de Nova Iorque também tem um ícone. Apesar de não ser um letreiro, a marca (ou slogan) “I love NY” (com um coração no lugar do “love”) tornou-se marca copiada e usada à exaustão, tanto para ilustrar camisetas e canecas, quanto usada por artistas – que deram sua cara crítica ao slogan.

Na Holanda, a cidade de Amsterdã tem o letreiro “I amsterdam”, com destaque para o “I am” em vermelho, um trocadilho em inglês (“I am” significa “eu sou”). O monumento está na Praça Museumplein, que abriga os principais museus da cidade. Há, ainda, letreiros itinerantes.

No Brasil, os letreiros também fazem a festa de turistas. Na baiana Salvador, por exemplo, as letras localizadas na praça próxima ao Elevador Lacerda são “mutantes”: ora homenageiam ícones da cultura, como o escritor João Ubaldo Ribeiro, ora “vestem-se” para ocasiões especiais: quando foi uma das sedes da Copa 2014, suas letras ostentaram as bandeiras dos países que por lá jogaram.

No sul, a solar Florianópolis tem a escultura “Sou Bem Floripa”. A iniciativa é do Grupo RIC, emissora afiliada da RecordTV. O Movimento Sou Bem visa valorizar o estado de Santa Catarina, e também está em outras cidades, como Blumenau e Joinville.

Agora, São Paulo também tem um mega letreiro para chamar de seu. Sob o mantra da campanha “São Paulo é Tudo de Bom”, a escultura símbolo (ou sign city) estará em vários locais. Um deles, na Zona Norte. O Centro de Exposições e Convenções do Expo Center Norte recebeu as letras na última quarta-feira (4/4). O local é um dos principais polos de negócios e entretenimento da capital, atraindo turistas de todos os cantos.

O letreiro é “tech”, composto por uma hashtag #SÃO PAULO e, ao lado, um cubo com “É TUDO DE BOM”. A campanha foi criada pela fundação estadual Visite São Paulo, que promove o turismo em todo o estado.

Região ganha letreiro que promove turismo de São Paulo