Brasileiro Guto Requena leva duas premiações no “Oscar” do Design Mundial

No blog do Visite São Paulo você encontra o que fazer na cidade, com ideias para passeios, melhores programas culturais, teatros, museus, shows, exposições, diversão para hoje, amanhã e final de semana, para crianças e adultos, pagos ou gratuitos e muito mais. Afinal, São Paulo é Tudo de Bom!

montagem_predio

Prédio em São Paulo reúne tecnologia e ciência (Foto: Divulgação)

O brasileiro Guto Requena venceu dois prêmios iF Design, considerado o “Oscar” do design mundial. O profissional é reconhecido principalmente por aliar arquitetura, ciência e alta tecnologia. Neste ano, foram mais de 5.500 inscritos, de 59 países. A cerimônia de premiação aconteceu no último 10 de março, em Munique, na Alemanha, no Museu da BMW.

Os projetos contemplados foram o Light Creature e Love Project. O primeiro foi a nova fachada do hotel WZ, construído nos anos 1970 em São Paulo, que ganhou dois efeitos diferentes para dia e noite. Com a luz do sol, as chapas metálicas que revestem o edifício projetam uma “pele pixelada” nas cores dourado, azul e cinza. Para chegar a esse padrão, Guto usou um software paramétrico que analisou os sons no entorno do prédio, criando padrões gráficos como resposta. Ou seja, a fachada reflete visualmente a paisagem sonora da Avenida Rebouças, endereço do hotel. Já à noite, a fachada acende em padrões luminosos interativos. Sensores instalados no prédio coletam sons que impactam nos movimentos e formas do Light Creature. Outro grupo de sensores coleta a qualidade do ar, modificando suas cores. Um aplicativo para celular permite a interação direta do público com o prédio, através do toque com os dedos ou da voz.

mandala_guto_requena

Emoções viraram mandalas no Love Project (Foto: Divulgação)

O outro projeto, chamado Love Project, surgiu da união de design, ciência e tecnologia para transformar as emoções captadas durante narrativas de amor em objetos do cotidiano. Durante um evento de design, o público foi convidado para, equipados dos sensores apropriados, usar a interface enquanto narravam suas próprias histórias de amor. Essas histórias eram impressas por impressoras 3D durante a performance, resultando em mandalas únicas que eram levadas para casa pelos visitantes.

Fonte: Revista Casa e Jardim

0 comentário

Comente primeiro:

 

Comente também