Sala de imprensa Artigos

Ver artigos   

Abril/2017 - Toni Sando

"Ali não é mais ali"

O Brasil e o mundo, nos últimos anos, passaram por mudanças que nem os mais confiáveis gurus puderam prever, nos diversos âmbitos da humanidade: grandes políticos presos, Brexit, Copa e Olimpíadas realizadas no Brasil, impeachment, Donald Trump presidente da maior nação do planeta, Operação Lava Jato, Operação Carne Fraca, o Papa argentino, impressoras 3D, a febre do Pokémon Go e muito mais.

O setor de eventos e feiras também entra na dança. Eventos ícones do segmento, com grande impacto na economia, como a Fenasoft, Comdex e a UD Feira de Utilidades Domésticas, não existem mais. Tudo é uma clara demonstração do panorama no qual vivemos no mercado: volátil, incerto, complexo e ambíguo. É o famigerado “VUCA”, do inglês, volatility, uncertainty, complexity and ambiguity.

O setor de eventos é ainda mais complexo. Soma-se à equação os desafios das incertezas políticas e econômicas, a digitalização de processos, inovações tecnológicas e a hiper-segmentação dos congressos. O cenário se completa e uma urgência surge: a renovação do modelo de negócio.

A quebra de paradigma e a saída da zona de conforto se tornam os maiores desafios.

Um caminho para o segmento MICE (Meeting, Incentive, Conference & Exhibitions) se manter atualizado e funcional é estar atento às dinâmicas das relações. Ao passo que um bom encontro precisa disponibilizar toda a tecnologia que facilite a participação, como aplicativos, interatividade e até o básico como wi fi, tomadas, site responsível, etc, é preciso também “voltar ao passado” e colocar no centro das atenções, antes da tecnologia, as pessoas.

Em outras palavras, com uma grande conexão online, passa a se esperar ainda mais dos encontros off-line.

Não há mais espaço para eventos entediantes, previsíveis, impessoais, egocentrados e vazios, sem propósito claro. É preciso atuar como criador de ambientes potentes, alimentando um caos nutritivos onde a troca de ideias é incentivada. As inovações humanas devem estar acima das inovações tecnológicas, com capital intelectual, espaços alternativos e experiências de informalidade.

Ainda assim, há alternativas para cada desafio apresentado pelo VUCA.

O mundo volátil pode ser enfrentado com uma visão bem definida e clara; as incertezas, por meio de conhecimento e informação; a complexidade pelas soluções simples e diretas; e a ambiguidade, através da agilidade e rapidez, afinal, quem erra rápido, conserta rápido.

E a frase dita por Paulo Salvador, que “Ali não é mais ali”, contínua vívida e presente em cada decisão tomada, todos os dias.


  • Toni Sando

    Toni Sando

    Presidente Executivo do São Paulo Convention & Visitors Bureau

*Presidente Executivo do São Paulo Convention & Visitors Bureau, Toni Sando tem em seu currículo graduação em Administração de Empresas pela Universidade São Judas Tadeu (USJT), cursou pós-graduação em marketing pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), e tem MBA em gestão empresarial pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Seu histórico profissional inclui destacadas atuações nas áreas de operações, marketing, produtos e negócios no mercado financeiro (bancos Noroeste, Nacional e Unibanco). Durante sete anos dedicou-se à área de marketing da Accor Hotels na América do Sul.

Busca Agenda

+ busca avançada Buscar   
  Relatório 2016
  ÍNDICE DE PREÇOS - TRIVAGO
Personal Guides

Vídeos

7388755

Podcast com todos os eventos acontecendo semanalmente

  SPCVB 33 anos

Twitter